quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Onde eu queria estar...

Algumas pessoas passaram pela minha vida durante alguns poucos meses e deixaram marcas muito profundas.

Uma delas foi Queila.

Há um ano atrás ela fazia quimioterapia no Hospital da Baleia.

Eu ia lá quase todos os dias.

Como estava próximo o Natal levamos os presentes para todos da sua ala da enfermaria.


Depois que ela se foi nunca voltei lá.


Este ano, a entrega dos presente foi marcada para hoje.

Combinei com as outras voluntárias que eu iria.

Apareceu um pepino no escritório e não deu.

Agora, depois de comecei a escrever percebi que lá eu ainda não consigo voltar.

Mas não vou mudar o título do texto, é uma meta voltar à ala de quimioterapia do Hospital da Baleia, mas não na época do Natal.






Esta não é a foto da Queilla, quando a conheci ela não tinha mais este sorriso.

Esta é uma das meninas da Aura que receberam a vistida de membros da Pastoral Social.

Para acompanhar a trajetória de Natal que as voluntárias da Pastoral Social programaram para este Natal clique aqui.


Sábado, dia 19/12, a entrega vai ser no Aglomerado do Papagaio na creche Morada Nova.

Estarei lá, quem quiser conhecer, entre em contato. 

4 comentários:

Thê,Gii e Cami disse...

Sei como é isso.... é uma droga quando alguma coisa muito ruim acontece(no seu caso, toda a situação da Queila) e não temos mais força para "encara-la", depois de um tempo.... :/ Mas um dia você vai conseguir voltar lá, e vai fazer muito mais crianças felizes, como fez à Queila. (:
Beijinhos, Gi.

Me Visto Assim disse...

A perda é sempre muito difícil, mas o consolo é que com certeza ela estará melhor do que nós. Mas o natal é uma data que mexe com essas questões de perdas.
Fica bem e força pra voltar lá que com certeza outras crianças estarão precisando do seu carinho.

mdany disse...

OLÁ MINHA QRIDA!!!!
Realmente é algo triste mas mais triste ainda é não ajudá-los, fico feliz qndo encontro pessoas disposta a ajudar , sou enfermeira e tenho meus pacientes e qnd um deles parte, fico com um vazio, e aos poucos outros vão entrando e o que fica é a saudade e a alegria de poder ter colaborado de alguma forma... no meu caso cuidando bem dando o amor que eles precisam....beijoks qrida tdo de bm!!!

Claudia Pompeu disse...

fiquei com o coracao apertadinho...
quando temos filhos...
e ainda sao pequenos...
dá um medo...
mas a vida é assim
e vamos superando nossas perdas
vencendo nossos desafios
e sempre tentando ser feliz!
um beijo coberto de carinho
claudinha